Os perigos (muito sérios) da obesidade

Leave a comment

 

A obesidade já tem sido chamada de epidemia do século.

Metade das causas de doença e de morte em Portugal têm relação direta com a alimentação, segundo a Direção-geral da Saúde, que aponta o consumo excessivo de sal e de açúcar como fatores de risco para várias doenças.

Há uma preocupação crescente  em combater a obesidade, pois prejudica não apenas o corpo físico, mas o estado interior de uma pessoa como a baixa autoestima. Quem possui muita gordura corporal sente certo um constrangimento ao olhar no espelho e isso pode levar a quadros de angústia e depressão.

Em muitos casos, o indivíduo deprimido precisa ingerir medicamentos antidepressivos para tratar desse problema. O que na verdade tudo o que este indivíduo precisava era de reeducação alimentar.

Assim, os riscos aumentam, por isso é importante alertar as pessoas obesas sobre a gravidade desse estado.

Problemas de saúde que podemos associar à obesidade:

  • Físicos: diabetes mellitus, dislipidemias, HTA, problemas respiratórios, cardiovasculares, osteoarticulares, digestivos;
  • Psíquicos: perda da autoestima, depressão, ansiedade, alterações do comportamento alimentar;
  • Sociais: isolamento social, discriminação laboral;
  • Económicos: em Portugal, segundo a Associação Portuguesa de Economia da Saúde, o custo directo da obesidade, em 1996, foi de 46.2 milhões de contos o que corresponde a 3.5% das despesas totais com a saúde. Em 1999 rondou os 90 milhões de contos.

As pessoas obesas podem ter sintomas nas condições clínicas acima mencionadas.

A pressão arterial elevada, níveis elevados de colesterol, problemas respiratórios e dores nas articulações (nos joelhos ou parte inferior das costas) são bastante comuns.

Quanto mais a pessoa vai se tornando obesa, mais provavelmente sofrerá de um desses problemas de saúde.

Não se deixe ficar no fundo do poço, consultem um profissional de saúde adequado e agarre a corda da vida.

Se a sua vida não tem graça sem comida pouco saudável, então deve rever as suas prioridades e encontrar a graça de viver nos momentos com a sua família, amigos, viagens, etc.

Nutricionista Denise Gomes

Post introduzido por Denise Gomes

Coma pimenta e emagreça

Leave a comment

image

Já ouviu falar em Capsaicina? Esta substância tem um grande potencial antioxidante e termogénico.
A capsaicina é uma substância encontrada na pimenta e que é responsável pelo sabor picante. Sendo assim, quanto mais picante a pimenta, mais capsaicina essa pimenta possui. E quanto mais capsaicina, mais benefícios retiramos do fruto.
A capsaicina tem muitas propriedades, entre elas: analgésica, energética, expectorante, digestiva, antioxidante e vasodilatadora.
Segundo algumas pesquisas, a pimenta pode reduzir em até 45% o colesterol total de indivíduos com hipercolesterolemia, consequentemente, reduzindo os riscos de doenças arterial coronária ou aterosclerose.
A capsaicina da pimenta tem um poder antioxidante duas vezes maior do que o ácido ascórbico. A atividade antioxidante da pimenta combate a  excessiva de radicais livres.  No entanto, a capsaicina também parece estimular a produção de óxido nítrico no endotélio, o qual promove um relaxamento das artérias e facilita o fluxo sanguíneo.
As pimentas são bastantes nutritivas: em uma colher de pimenta é possível encontrar 70% da recomendação de vitamina A e mais do que 100% de vitamina C, contendo também minerais como ferro, cálcio e algumas vitaminas do complexo B, como a niacina, tiamina e a riboflavina. As pimentas vermelhas possuem um potencial antioxidante maior do que as pimentas verdes, além de conter bioflavonóides que auxiliam na prevenção do cancro.  Acredita-se que a capsaicina atue no sistema nervoso simpático aumentando a liberação de catecolaminas (noradrenalina e adrenalina), as quais atuam diminuindo o apetite.
A pimenta também auxilia no emagrecimento por conta de seu efeito termogênico (aumentando o metabolismo) e por estimular a liberação de endorfina, a qual confere ao individuo uma sensação de bem-estar e diminui a vontade de comer.

Recomenda-se uma dose de 3g/dia de pimenta vermelha visando aumentar o metabolismo e favorecer a perda de peso.

ATENÇÃO:
Vale ressaltar que nem todos pode consumir a pimenta. Pessoas com intolerância à pimenta e/ou com gastrite, esofagite, hemorróidas ou refluxo gastroesofágico, por exemplo, devem evitar consumir a pimenta. Sendo assim, faz-se necessário procurar um nutricionista, antes de aumentar o consumo de pimenta nas refeições.

Nutricionista Denise Gomes

Post introduzido por Denise Gomes

Tempero Cajun – mais sabor aos cozinhados

Leave a comment

image

Eu aconselho muito o uso de especiarias, principalmente para quem quer fazer uma alimentação saudável sem sacrificar o sabor, como eu! Cajun é uma mistura de especiarias que tem um sabor intenso me delicioso. O melhor? É que pode fazê-lo em casa e colocá-lo nas suas marinadas. Use mais especiarias  para dar o máximo sabor aos seus pratos, sem abusar da gordura e do sal.

Tempero Cajun

2 1/2 colheres (sopa) de paprica

2 colheres (sopa) de sal

2 colheres (sopa) de alho em pó

2 colheres (sopa) de cebola em pó

01 colher (sopa) de pimenta do reino moída

1 colher (sopa) de pimenta de caiena em pó

1 colher (sopa) de oregãos

1 colher (sopa) de tomilho seco

1 colher (sopa) de alecrim seco

Preparação:

1. Misture bem todos os ingredientes, se necessário use um processador ou mesmo o liquidificador.

2. Armazenar o tempero num pote de vidro. O prazo de validade é de 3 meses, aproximadamente.

Nutricionista Denise Gomes

Post introduzido por Denise Gomes

Salgadinhos saudáveis

Leave a comment

image

Quando se fala em chips, pensamos logo em “gordices”, alimentos com sal e gordura. Hesitamos em comer. Afinal, como costumamos ouvir, os salgadinhos têm muitas calorias e não contribuem para manter a boa forma. Mas e se estes salgadinhos fossem substituídos por alimentos saudáveis como legumes e ainda conseguissem ter a mesma consistência crocante das batatinhas tradicionais? Era tudo de bom, certo? Então é isso mesmo que vos proponho.

Hoje dou-vos dicas de como fazer chips saudáveis.

1 – Para começar escolha os legumes de sua preferência. Os mais utilizados são os de consistência firme como a beterraba, courgette, beringela e chuchu.
Um dos segredos para que os chips fiquem bem crocantes é cortar os legumes em fatias bem finas.

2 – Assim como na preparação da batata frita tradicional, depois de descascar e cortar os legumes, é importante deixá-los de molho em água fria para que eles não escureçam (processo de oxidação).
Os chips de legumes podem ser fritos, assados no aquecidos no forno ou no microondas. Mas para serem mais saudáveis, opte pelas três últimas preparações.

3 – Caso opte por prepará-los no forno, coloque os legumes em uma forma forrada com papel vegetal com um pouco de azeite e coloque sal à gosto e leve-os ao forno por aproximadamente 10 minutos.
Se o modo de preparação escolhido for o microondas, é só colocar os legumes  num prato e deixá-los dourar por cerca de 10 minutos. Lembre-se de virá-los na metade do tempo total. Ou seja, depois de 5 minutos.

Espero que estas dicas sejam úteis. Boas experiências e contem aqui nos comentários como correu ?

Nutricionista Denise Gomes

Post introduzido por Denise Gomes