Nunca foi sobre a comida

Leave a comment

Nunca foi sobre a comida…

São precisos alguns meses, momentos de reflexão, algumas quedas para perceber que, em algum momento, da sua jornada de ganho e perda de peso, provavelmente já lhe passou pela cabeça que nunca foi sobre comida.

Para todos nós que podem ter lutado ou ainda nos esforçamos para comer de uma maneira que representa o nosso melhor esforço para cuidar de nós mesmos, é só isso, uma escolha.

Uma vez que esteja “armado” com informações e verdades sobre a comida, não há mais nada a acontecer com nossas escolhas. Seja ou não comer uma refeição ou um lanche que seja “saudável” ou “bom” ou “nutritivo” para si tem pouco a ver com comida por si só. O que você escolhe para comer tem quase tudo a ver com: Suas prioridades. Sua auto-estima. Suas escolhas. Seu foco. Sua atenção.

Caso isto não aconteça, há mais aí no subconsciente que não o deixa seguir em frente com as melhores escolhas. Assim sendo é tempo de refletir. É tempo de perceber o que a faz ficar parado e auto-sabotar o tempo todo.


O que você escolhe para comer e o que você sente sobre isso é um reflexo direto da sua capacidade de traduzir como se sente e sobre as ações diárias que manifestam esses sentimentos na realidade. O que estou a dizer é de  pura e total auto-compreensão de que as escolhas que todos fazemos em torno da comida (do que vamos comer como nos sentimos sobre nós mesmos uma vez que o comemos!) Tem tudo a ver com auto-percepção.  Eu acho que, uma vez que sabemos o que é Comida (como a maioria de nós sabe que um pastel de nata não é “Comida”, por exemplo), a conexão – ou desconexão – entre o saber e o fazer. É TUDO. Concorda?

 

Um pequeno pedaço de informação é muito importante. A informação faz-nos comer de forma consciente e é isso que eu pretendo com este blog e com as consultas, claro! porque tudo o resto não é sobre comida, é sobre SI!  Você faz a conexão e o esforço. E você faz o trabalho para traduzir seu desejo de mudança NA MUDANÇA REAL. Há uma pequena ressalva aqui, e é uma janela muito curta quando é sobre a comida. Esse tempo é o breve momento entre quando você desperta para o fato de que você precisa fazer uma mudança e o momento que precisa de novas informações sobre alimentação entrem no seu estado de consciência.

Depois de se conscientizar ou acordar a verdade, você sempre soube – que a comida real é o que os seres humanos são naturalmente concebidos para consumir – então esta janela fechou. O tempo de não saber acabou e o tempo de ação deve começar.

 

Post introduzido por Denise Gomes

DIA DA MULHER – 2018

Leave a comment

Parabéns a todas as mulher guerreiras que somos, pela força que temos, pelo espaço que adquirimos na sociedade e pela determinação. Trabalhamos, cuidamos da casa, da família, cão e do piriquito e ainda temos energia. Mas para potencializar os nossos super-poderes alguns cuidados com a alimentação são indispensáveis, para se ter boa saúde e beleza.

NUTRIENTES ESSENCIAIS para as guerreiras:

  • Isoflavona: É um fitoestrogénio, ou seja, é uma substância naturalmente encontrada na soja que se assemelha à hormona estrogénio. Por isso, acaba por atuar no organismo como se fosse a hormona  feminina, sendo assim, diminui os sintomas da TPM, como irritabilidade, depressão e insónia e também da menopausa, reduzindo aquelas ondas de calor. A isoflavona atua também reduzindo a manifestação do cancro de mama. Alguns dos alimentos que possuem são: grãos de soja, proteína texturizada de soja, leite de soja, tofu, linhaça e brotos de alfafa.
  • Piridoxina ou Vitamina B6: A mulheres, em geral, sofrem com a retenção de líquidos e a vitamina B6 consegue ajudar bastante nesse sentido. Só para constar, esse inchaço pode ser causado por alterações hormonais, problemas no coração, nos rins, no fígado ou mesmo na tiróide, sedentarismo, alimentação desequilibrada, medicamentos e calor excessivo. A vitamina B6 é encontrado, por exemplo, no gérmen de trigo, salmão, frango, fígados, nos legumes, nos cereais integrais, na banana e na batata.
  • Triptofano: É precursor da serotonina, que é responsável por regular o sono, o apetite, o humor, a sensibilidade a dor, o ritmo cardíaco, a temperatura corporal e as funções intelectuais. Para as mulheres é tão importante, pois atua no controle da ansiedade, da depressão, do humor, da agressividade, do comportamento compulsivo, além de diminuir a vontade de comer doce, que é muito frequente nas mulheres. As fontes alimentares são: carnes magras, peixes, leites e iogurtes magros, queijos magros, castanhas e feijões.
  • Cálcio:  Este mineral é o mais abundante no corpo. As suas reservas fazem-se na infância, daí a importância do seu consumo nessa fase. Na gestação e na lactação, são necessários em maior quantidade para suprir mãe e filho. A partir dos 50 anos, começa-se uma perda da quantidade das reservas corporais, daí pode surgir a osteoporose. Os alimentos ricos em cálcio são: vegetais verde-escuro como brócolos, espinafre, rúcula e agrião, sementes de sésamo, leite e derivados.

Super smoothie para mulheres:

– 2 porções de espinafre congelado ou 1 mão cheia de espinafre fresco

– 20g de aveia

– 1 banana

– 200ml de bebida de soja

Triture tudo no liquidificador até obter um líquido cremoso e já está 💚

Nutricionista Denise Gomes

Post introduzido por Denise Gomes

5 pequenos passos para um estilo de vida saudável

Leave a comment

Já passaram dois meses desde o início do ano! Como assim?! Já iniciou algum dos seus objetivos de 2018? Como quer olhar e se sentir  por esta altura no próximo ano? Se o seu objetivo é ser mais magro, mais feliz ou mais saudável,  pode alcançá-lo apenas fazendo pequenos ajustes no seu estilo de vida. Veja como, ao longo de um ano, pequenas mudanças podem ter um impacto surpreendentemente.

Se … perder um quilo por mês

No ano que vem: A perda de quilo por mês parece tão mínimo e, no entanto, pense nisto: por esta altura, você será, pelo menos, 12 quilos mais leve. Mas se está com muito excesso de peso (obeso), precisará de perder um quilo por semana, ou seja, para o ano, nesta mesma altura, terá perdido mais ou menos 50kg?!?! sabia que perder apenas 5 a 10 por cento do seu peso corporal pode melhorar sua pressão arterial, colesterol e açúcar no sangue? a perda de peso gradual também poderá reduzir risco de de desenvolver doenças mais graves, incluindo doenças cardiovasculares  e diabetes (que atualmente afeta quase um milhão de portugueses, doença que mata mais de 12 pessoas por dia em Portugal, segundo um relatório da Organização Mundial da Saúde).


Dicas

1. Vá pelas escadas

No no seguinte: Terá queimado o dobro das calorias que você faria ao andar no elevador. Uma mulher de 70 kg  queimaria cerca de 4,940 calorias por ano se demorasse três minutos para subir rapidamente as escadas todos os dias úteis, levando 1 a 15 quilos de coisas com ela (sapatos, malas :D).

2. Cortar um biscoito/ bolacha por dia

No ano seguinte: Terá eliminado 21,170 calorias. Isso é suficiente para perder 3 kg. Corte mais, perca mais.

3. Use azeite em vez de manteiga

No ano seguinte: Poderá ter reduzido o risco de doença cardíaca em 19% no ano. Numa revisão publicada no PLOS Medicine em março de 2010, pesquisadores da Harvard School of Public Health observaram  que, mais de 13.000 pessoas que trocaram gordura saturada (tanto na manteiga quanto na carne vermelha) por gordura poliinsaturada (peixes gordos, sementes)  e monoinsaturada (azeite, óleo de amendoim), durante pelo menos um ano, houve uma  queda do risco de doenças cardíacas.

4. Reduza algumas horas do horário da TV

No ano seguinte: Poderá ter reduzido o risco de uma morte precoce. Um estudo publicado no British Journal of Sports Medicine em 2011 descobriu que as pessoas que assistiram televisão durante seis horas por dia tiveram vidas mais curtas – cerca de 4.18 anos do que as pessoas que não assistiam  TV.  Mas a TV por si não é a culpada!! estar sentado por períodos prolongados podem encurtar a sua vida.  Isto porque, dizem os pesquisadores, que ficar sentado por longos períodos de tempo, poderá suprimir as enzimas envolvidas no metabolismo das gorduras ou pode de alguma forma afetar indiretamente o colesterol, a glicose, a pressão arterial e outros marcadores de saúde. A chave para contrariar este facto, é encontrar maneiras de ficar de pé e mover-se mais durante o dia. Alguns especialistas recomendam levantar-se da sua cadeira a cada 30 minutos ou menos.

5. Vá para Cama um minuto antes

No ano seguinte : ir para a cama um minuto mais cedo todas as noites por apenas dois meses, fará com que você ganhe uma hora extra de sono, se fosse um minuto mais cedo, durante um ano, ganharia mais seis horas de sono todas as noites. A falta de sono está associada a um maior risco de obesidade, diabetes e problemas cardíacos, diminuição da capacidade de atenção e diminuição da capacidade de memória.

 

Nutricionista Denise Gomes

Post introduzido por Denise Gomes

Os perigos (muito sérios) da obesidade

Leave a comment

 

A obesidade já tem sido chamada de epidemia do século.

Metade das causas de doença e de morte em Portugal têm relação direta com a alimentação, segundo a Direção-geral da Saúde, que aponta o consumo excessivo de sal e de açúcar como fatores de risco para várias doenças.

Há uma preocupação crescente  em combater a obesidade, pois prejudica não apenas o corpo físico, mas o estado interior de uma pessoa como a baixa autoestima. Quem possui muita gordura corporal sente certo um constrangimento ao olhar no espelho e isso pode levar a quadros de angústia e depressão.

Em muitos casos, o indivíduo deprimido precisa ingerir medicamentos antidepressivos para tratar desse problema. O que na verdade tudo o que este indivíduo precisava era de reeducação alimentar.

Assim, os riscos aumentam, por isso é importante alertar as pessoas obesas sobre a gravidade desse estado.

Problemas de saúde que podemos associar à obesidade:

  • Físicos: diabetes mellitus, dislipidemias, HTA, problemas respiratórios, cardiovasculares, osteoarticulares, digestivos;
  • Psíquicos: perda da autoestima, depressão, ansiedade, alterações do comportamento alimentar;
  • Sociais: isolamento social, discriminação laboral;
  • Económicos: em Portugal, segundo a Associação Portuguesa de Economia da Saúde, o custo directo da obesidade, em 1996, foi de 46.2 milhões de contos o que corresponde a 3.5% das despesas totais com a saúde. Em 1999 rondou os 90 milhões de contos.

As pessoas obesas podem ter sintomas nas condições clínicas acima mencionadas.

A pressão arterial elevada, níveis elevados de colesterol, problemas respiratórios e dores nas articulações (nos joelhos ou parte inferior das costas) são bastante comuns.

Quanto mais a pessoa vai se tornando obesa, mais provavelmente sofrerá de um desses problemas de saúde.

Não se deixe ficar no fundo do poço, consultem um profissional de saúde adequado e agarre a corda da vida.

Se a sua vida não tem graça sem comida pouco saudável, então deve rever as suas prioridades e encontrar a graça de viver nos momentos com a sua família, amigos, viagens, etc.

Nutricionista Denise Gomes

Post introduzido por Denise Gomes