Como descobrir a quantidade de açúcar nos alimentos

Leave a comment

Quem tem tempo para preparar o seu alimento todos os dias, ir ao mercado procurar hortícolas frescos e comparar os rótulos de tudo o que compra no supermercado? Se a resposta for não, saiba que faz parte de um grupo grande de pessoas que possuem dificuldades em manter uma dieta saudável – que começa na identificação da quantidade de açúcar nos alimentos.

Quantidade de açúcar – alerta 🚨

O açúcar (hidratos de carbono) é um dos nutrientes essenciais para o organismo e sem ele as células do nosso corpo não funcionam. No entanto, o seu consumo excessivo pode aumentar o risco de várias patologias, incluindo a saúde dental, a obesidade e o tipo 2 da diabetes. Por essas razões, torna-se fundamental conhecer a quantidade de açúcar nos alimentos que consumimos.

4 dicas para descobrir a quantidade de açúcar nos alimentos

1. Verifique a quantidade de açúcares totais

Para descobrir a quantidade de açúcar nos alimentos, é preciso verificar as informações nutricionais que estão nos rótulos dos alimentares. Em “açúcares”, podem estar descritos açúcares naturais (como a lactose e a frutose) como o açúcar refinado (sacarose).

A OMS lançou um alerta sobre os riscos do consumo excessivo de açúcar. As recomendações indicam que o consumo de açúcares simples adicionados à nossa alimentação deve estar abaixo dos 10 % da energia consumida diariamente. De preferência aproximar-se dos 5%.

Ou seja, o total diário de açúcar adicionado aos alimentos (em croissants, sumos, sobremesas, cereais de pequeno-almoço, etc.) não deveria ultrapassar as 6 colheres de chá de açúcar.

Por isso, verifique se a quantidade de açúcar contida no alimento fique bem abaixo deste número.

Tenha em mente que um pacote de açúcar tem 7g, se um iogurte tiver 14g de açúcar contém 2 pacotes de açúcar. Para um iogurte com 125g é bastante.

2. Fique de olho na lista de ingredientes

No rótulo dos alimentos, a lista de ingredientes aparece em ordem decrescente, ou seja, quanto antes vier o açúcar nessa lista, maior a sua concentração no alimento.

Tenha um cuidado especial na procura dessa informação, já que o açúcar pode aparecer com outros nomes, como açúcar mascavado, mel, xarope, melado, glicose, dextrose, maltose e concentrados de frutas.

3. Cálculo rápido dos açúcares 

Uma boa maneira de verificar se o alimento é rico em açúcar ou  é se concentrar no item “dos quais açúcares” o seguinte:
De forma geral, se há mais de 15 gramas de açúcar por 100 gramas, é considerado um produto com alto teor de açúcar.
Se for 5 gramas por cada 100 gramas, é um produto com baixo teor de açúcar.

4. Compare produtos

Ficou na dúvida se aquele alimento tem muito açúcar ou não? Outra forma de descobrir a quantidade de açúcar nos alimentos é comparar com outro produto similar ao que você pretende consumir.

Tenha em mente que mesmo que algumas marcas sejam mais famosas, nem sempre são a melhor para a sua saúde.

Exemplos de valores recomendados
Para sua orientação, eis os valores de gordura, de açúcar e de sal recomendados por 100g de alimento relativamente a alguns produtos:

Iogurtes magros devem ter menos de 0,5 g de gordura, enquanto os iogurtes sem açúcar adicionado devem conter 5/6 g de hidratos de carbono (HC);
Os cereais de pequeno-almoço devem ter menos de 17 g de açúcares e mais de 13 g de fibra;
As bolachas ou tostas devem ter menos de 13 g e no máximo 15 g de gorduras. A quantidade de açúcares deve ser inferior a 5 g.
Em termos de sal ou sódio: assegure que tem menos de 0,6 g de sal ou menos de 0,3 de sódio (300 g). As fibras devem estar nos valores acima de 5 a 6 gramas.

Post introduzido por Denise Gomes

Bolo de iogurte com cobertura de chocolate

Leave a comment

O bolinho mais requisitado da Nutri 💚

MASSA PARA O BOLO
200g de farinha com fermento
180g de açúcar
1 colher de chá cheia de fermento
1 iogurte de aromas magro
1/2 copo de iogurte de azeite
3 ovos inteiros

Juntar tudo (não é preciso bater as claras), num recipiente e bater bem. Untar uma forma com manteiga e polvilhar com farinha. Levar ao forno previamente aquecido em lume médio ou 180ºC cerca de 30/40 minutos. Para verificar se está bem cozido, confirmar com um palito.

COBERTURA

1 pacote de natas de espelta (ou outra a gosto)

1/2 tablete de chocolate negro (100g)

Leve ao lume (brando) o chocolate com as natas. Quando o chocolate tiver derretido e a borbulhar levemente está pronto. Cubra o bolo quando este tiver arrefecido um pouco.

Dicas
Pode usar-se iogurte natural/com sabores/pedaços

Nota: podem adicionar 30g de cacau em pó à massa para um bolo de chocolate 💚

 

Post introduzido por Denise Gomes

Café turbinado – Café com óleo de côco

Leave a comment

img_4588

Hoje venho vos falar de um assunto do qual me fazem muitas questões: café com óleo de côco ou bulletproof coffee (também é conhecido assim). No meu pequeno-almoço é normal ter este café. No início estranhava a textura mas acabei por me habituar.

Porque é que eu tomo o bulletproof coffee?

Além de saboroso, o bulletproof coffee possui benefícios para a saúde. Os ingredientes principais são, a café e o óleo.

Os principais benefícios destas substâncias são:

Café: é fonte de cafeína, uma substância capaz de estimular o sistema nervoso, aumentando o estado de alerta. O café colabora para o aumento do desempenho físico  ao retardar o tempo até o cansaço e promover mais energia e disposição. Também tem ação termogénica, estimulando a queima de gordura. Além disso, disponibiliza mais ácidos gordos livres (gordura) para serem queimados, com isso, poupa as reservas de glicogénio no músculo.
Óleo de coco: extraído da polpa do coco, o óleo de coco é fonte de gorduras saturadas na forma de triglicéridos de cadeia média (TCM), que são rapidamente absorvidas pelo organismo – o que gera energia e evita a acumulação de gordura. O óleo de coco ajuda a reduzir o colesterol LDL e aumentar o HDL, tem ação anti-inflamatória, ajuda a fortalecer o sistema imunológico e promove a sensação de saciedade.

COMO TOMAR?

A bebida pode ser consumida no pequeno-almoço ou nos lanches intermediários, como forma de contribuir para a saciedade e estado de alerta. Apesar de todos os seus benefícios, o café com óleo de coco deve ser consumido com moderação e, de preferência, com a orientação de um nutricionista.

Como faço?

– Café

– 1 colher de sopa de óleo de côco

– pitada de canela

misture tudo e já está 💚

Nutricionista Denise Gomes

Post introduzido por Denise Gomes

Coma pimenta e emagreça

Leave a comment

image

Já ouviu falar em Capsaicina? Esta substância tem um grande potencial antioxidante e termogénico.
A capsaicina é uma substância encontrada na pimenta e que é responsável pelo sabor picante. Sendo assim, quanto mais picante a pimenta, mais capsaicina essa pimenta possui. E quanto mais capsaicina, mais benefícios retiramos do fruto.
A capsaicina tem muitas propriedades, entre elas: analgésica, energética, expectorante, digestiva, antioxidante e vasodilatadora.
Segundo algumas pesquisas, a pimenta pode reduzir em até 45% o colesterol total de indivíduos com hipercolesterolemia, consequentemente, reduzindo os riscos de doenças arterial coronária ou aterosclerose.
A capsaicina da pimenta tem um poder antioxidante duas vezes maior do que o ácido ascórbico. A atividade antioxidante da pimenta combate a  excessiva de radicais livres.  No entanto, a capsaicina também parece estimular a produção de óxido nítrico no endotélio, o qual promove um relaxamento das artérias e facilita o fluxo sanguíneo.
As pimentas são bastantes nutritivas: em uma colher de pimenta é possível encontrar 70% da recomendação de vitamina A e mais do que 100% de vitamina C, contendo também minerais como ferro, cálcio e algumas vitaminas do complexo B, como a niacina, tiamina e a riboflavina. As pimentas vermelhas possuem um potencial antioxidante maior do que as pimentas verdes, além de conter bioflavonóides que auxiliam na prevenção do cancro.  Acredita-se que a capsaicina atue no sistema nervoso simpático aumentando a liberação de catecolaminas (noradrenalina e adrenalina), as quais atuam diminuindo o apetite.
A pimenta também auxilia no emagrecimento por conta de seu efeito termogênico (aumentando o metabolismo) e por estimular a liberação de endorfina, a qual confere ao individuo uma sensação de bem-estar e diminui a vontade de comer.

Recomenda-se uma dose de 3g/dia de pimenta vermelha visando aumentar o metabolismo e favorecer a perda de peso.

ATENÇÃO:
Vale ressaltar que nem todos pode consumir a pimenta. Pessoas com intolerância à pimenta e/ou com gastrite, esofagite, hemorróidas ou refluxo gastroesofágico, por exemplo, devem evitar consumir a pimenta. Sendo assim, faz-se necessário procurar um nutricionista, antes de aumentar o consumo de pimenta nas refeições.

Nutricionista Denise Gomes

Post introduzido por Denise Gomes