A minha experiência com café verde II

Leave a comment

Já tinha feito um post sobre a minha experiência com café verde. Passado uma semana vi diferenças significativas no metabolismo e em outros aspetos, tal como podem ver aqui.

Entretanto tive que fazer uma pausa por motivos de saúde. Retomei há um mês e agora sim posso dar uma opinião mais formada de acordo com a minha experiência.

Tive a tomar antibiótico e quando o faço fico mais inchada, tendência para aumentar o peso e metabolismo lento. Assim que comecei a tomar o café verde vi o meu metabolismo ficar novamente mais rápido, senti-me novamente com mais energia, menos inchada e com menos massa gorda. Agora é terminar a embalagem! Recomendo o café verde, salvo nas situações que adverti no post anterior. É importante lembrar que não há milagres, portanto, há que adotar, também, hábitos de vida saudável.

No entanto, quero fazer uma ressalva, quando comprarem o café verde tenham em atenção as miligramas que o produto contém, porque há muitos sites e lojas físicas que vendem produtos de má qualidade, faça uma escolha informada para adquirir um produto que funcione e que não tenha efeitos secundários inesperados. Aquando da compra, siga esta básica:

Como escolher?

Mínimo de 45% de ácido clorogénico. Se encontrar um produto com menos de 45% evite-o, uma vez que não terá qualquer benefício para a perda de peso.

O que experimentei como já nos tinha dito foi este (e agora está com uma promoção). Podem adquiri-lo aqui.

Nutricionista Denise Gomes

 

Post introduzido por Denise Gomes

Juicing – Detox de janeiro

Leave a comment

fdc00912596

Eu sei que ja vamos quase a meio de janeiro mas não é tarde para fazer um Detox, em forma de recomeço. Permita que o seu corpo comece clean, dando margem para se sentir mais energético e  menos inchado.

 

RECEITA:
1 rodela de ananás (com a parte do meio)
1/2 pera com casca
2 rodelas de gengibre fresco
1/2 limões médios
Alecrim q.b
1 talo de aipo
2 c. sopa de sementes de sésamo
250 ml de infusão detox NutriMais ou água fresca

MODO DE PREPARAÇÃO
Lave muito bem os ingredientes e coloque-os no copo da liquidificadora, junte cerca de 2500ml de infusão e triture até obter uma mistura homogénea.
Ajuste a textura com água a gosto e sirva-o bem fresco com algumas sementes de sésamo como topping.

Nutricionista Denise Gomes

Post introduzido por Denise Gomes

Água Detox refrescante

Leave a comment

image

Ingredientes:

3 copos de água gelada (750 ml)
Rodelas de pepino fresco
Folhas de hortelã fresca
1/2 limão em rodelas

Como esta bebida funciona?

As propriedades da hortelã facilitam a digestão e contribuem para aliviar as dores estomacais.
O pepino, por sua vez, contém antioxidantes, propriedades anti-inflamatórias e depurativas que ajudam a combater a retenção de líquidos e a inflamação estomacal.
O limão é digestivo, desintoxicante e depurativo.

Nutricionista Denise Gomes

Post introduzido por Denise Gomes

5 sinais que precisa de mudar de hábitos alimentares

Leave a comment

zoom-sinal-de-alerta-963

 

Muitos só pensam em mudar de hábitos alimentares quando a roupa deixa de servir mas antes do botão não fechar, o corpo costuma dar sinais de que as coisas não vão bem… só que na correria do dia a dia as pessoas não se apercebem.
E muito dos nossos sintomas tem uma raiz comum: nossos hábitos alimentares. Segue uma lista de sinais que vos podem ajudar a identificar alguns problemas que  nem imaginavam que pudessem estar relacionados com alimentação.

 

 1. Está inchada (o)!

Inchaço, refluxo e azia são sinais clássicos de alguma coisa está a causar uma inflamação/ irritação. Tente identificar com qual alimento que mais sente desconforto e experimente tirá-lo por uma semana da sua infesta alimentar para ver se os sintomas melhoram.
Já o desequilíbrio bacteriano na flora intestinal, conhecido como disbiose, também é uma das causas mais comuns dos inchaço. Uma dieta pobre em nutrientes, tratamentos com antibióticos, o uso prolongado de drogas que alteram o pH do estômago (antiácidos), terapia hormonal, esteroides e uma série de outros fatores podem levar ao crescimento excessivo de bactérias nocivas e uma redução do número de boas bactérias.

 

2. Está constipado ou com diarreia.

A constipação é um sinal claro de que não está bebendo água o suficiente (mais ou menos 8 copos por dia), mas também é um sinal de que estão a faltar  fibras na sua alimentação. Já a diarreia também pode ser o resultado da ingestão inadequada de fibras. Ou até mesmo que pode ser sensível ao glúten ou a lactose.

A recomendação diária é de pelo menos 30 gramas de fibra e se acha que está ingerindo menos do que isso, uma boa dica é começar com um sumo verde todas as manhãs. Mas sem coar.

3. Você está com pouca energia.

Sabe aquele sono que bate depois do almoço e que precisa de um cafézinhozão para acordar? Pois isso é outra pista enorme de que na sua dieta pode ter excesso de hidratos e défice de proteínas, além de outros nutrientes que nos mantém com energia. Como a vitamina C, por exemplo.

Um estudo de 2012 mostrou que cerca de 150 trabalhadores de um escritório que receberam doses de vitamina C tiveram menores indíces de fadiga e menor estresse oxidativo ao longo do dia.  Ainda são necessários mais dados sobre a eficácia a longo prazo, mas este estudo sugere que uma boa fonte de vitamina C pode fornecer tanta energia quanto uma chávena de café.

4. Está com o sistema imunitário comprometido

Maus hábitos alimentares podem comprometer o nosso sistema imunitário e ser o gatilho para diversas doenças e infecções. Se costuma  estar constantemente engripado ou doente, fique atento ao que coloca no prato.
Uma ingestão adequada de vitaminas e minerais, tais como as vitaminas A, C e E, zinco, selenio, ferro e ácido fólico são fundamentais para fortalecer nossa imunidade.

 

5. Tem problemas de pele.

Problemas de pele são uma das formas mais claras do nosso corpo dizer que o que estamos a consumir não está funcionar muito bem. Alergias e intolerâncias alimentares podem causar desde olheiras, manchas, erupções cutâneas, eczemas até uma série de outros problemas de pele.
Estudos também descobriram que mais da metade das pessoas que sofrem de acne possuem alterações nas bactérias do intestino e que as sociedades que têm uma dieta mais “limpa” com poucos alimentos processados ou açucarados (ex: japoneses) praticamente não têm acne. A Rosácea também tem sido associada à inflamação e ao desequilíbrio entre as bactérias do bem no intestino. Deve comer muita fruta, legumes e beber muita água. Abacate e uvas fornecem boas doses de vitaminas do complexo B, enquanto que as laranjas e morangos são ricos em vitamina C, que ajuda a reduzir os danos dos radicais livres causados pela exposição ao sol.

Muitas pessoas gastam dinheiro em tratamentos e cremes, mas esquece que não existem milagres! Não há creme que faça o que uma boa alimentação e muiiiiita água fazem pela nossa pele.

Nutricionista Denise Gomes

 

Post introduzido por Denise Gomes