Tem doença celíaca? tenha um consumo adequado de selénio

Sofre de doença celíaca (intolerância ao glúten)? Então deverá assegurar-se que ingere quantidades suficientes de selénio, um nutriente que tem um papel essencial na sua saúde. Quem tem esta doença aumenta o risco de deficiência em selénio. Mas calma! Nada  o alimentação equilibrada e saudável não resolva 💚

A ingestão de glúten, mesmo em pequenas quantidades, provoca uma resposta imunitária no intestino delgado que causa inflamação e diminuiu a absorção de diversos nutrientes vitais (incluindo o selénio). Adicionalmente, muitos dos alimentos que são eliminados da dieta do doente celíaco por conterem glúten (ex: cereais), são importantes fontes alimentares de selénio.

A longo prazo, a deficiência neste mineral pode ter consequências graves, uma vez que este elemento é essencial para a função de 25 proteínas que o contêm na sua estrutura molecular – as selenoproteínas. Estas proteínas dependentes do selénio, garantem ao organismo:

  • o funcionamento normal do sistema imunitário
  • o funcionamento normal da tiróide (metabolismo)
  • a protecção das células contra processos oxidativos adversos
  • uma espermatogénese normal
  • uma manutenção de unhas e cabelo normais

A glândula da tiróide é especialmente sensível

Ingerir pouco selénio pode ter um impacto particularmente negativo na saúde da tiróide, uma glândula altamente dependente deste mineral. Cerca de um terço do selénio do organismo, encontra-se na tiróide, onde regula as hormonas necessárias para o metabolismo e actividade antioxidante.

Não é necessário que os seres humanos consumam uma quantidade muito alta do nutriente diariamente: a recomendação é:

  • ingerir de 55 a 77 mcg (microgramas) a cada dia para adultos e adolescentes a partir de 14 anos;
  • 20 mcg para crianças de um a três anos;
  • 30 mcg para crianças de quatro a oito anos
  • 40 mcg para jovens de oito a treze anos.

Alimentos ricos em selénio:

Castanha-do-pará

Apenas uma noz de castanha-do-pará traz 500 mcg de selénio. Este alimento é ainda uma boa fonte de magnésio, potássio e cálcio oferece ação antioxidante.

10 g de castanha-do-pará possuem 66 calorias

Frango

O frango que aparece em nossos almoços e jantares é fonte de proteínas, magnésio e potássio e também traz o selénio na sua composição: são 7 mcg de selénio a cada 100 g.

Arroz

O arroz é um alimento bastante frequente à mesa e fornece 5 mcg de selénio a por cada  quatro colheres de sopa.

Ovos

Cada gema de ovo possui 3,4 mcg da substância. Por sua vez, uma unidade de clara de ovo possui 1,5 mcg do mineral, o que deixa cada ovo com um total de 4,9 mcg de selénio

Carne vaca

Além de trazer proteínas ao organismo, também entra na lista dos alimentos ricos em selénio, tendo em conta que contém 3 mcg a cada 100 g.

 Feijão

Para quem precisa seguir uma dieta para melhorar a quantidade de selênio presente no organismo, apostar na clássica e tradicional combinação de refeições  com feijão  é sempre uma boa ideia. Até na sopa é uma excelente opção.

 Queijo

Duas fatias médias de queijo contêm aproximadamente 3 mcg de selênio, além de outros nutrientes como proteínas, magnésio e cálcio.

Sementes de girassol

As sementes de girassol são fontes de vitaminas do complexo B, vitamina E, magnésio e fósforo. Mas  não estariam na nossa lista se não fossem também parte dos alimentos ricos em selênio. Pois bem, cada 100 g da comida contêm 59,5 mcg de selenio.

Nutricionista Denise Gomes

 

Post introduzido por Denise Gomes

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *